Os melhores programas de afiliados para ganhar mais dinheiro em 2019

Photo by Japheth Mast on Unsplash

Está à procura dos melhores programas de afiliados?

Não sabe como escolher a opção certa para o seu blog?

Quer ganhar mais dinheiro?

Então, está no sítio certo 🙂

Vou partilhar consigo vários programas de afiliados e algumas dicas que o vão ajudar a alcançar os seus objetivos.

Espero que ajude!

Agora, vamos ao que interessa.

[adinserter block=”2″]

Queres ganhar dinheiro com um blog?

Eu criei um guia com as etapas mais importantes para arrancar na direção certa!

Carrega aqui para ler: Como criar um blog profissional: 16 passos cruciais para o seu sucesso

Afinal, quais são os melhores programas de afiliados?

Lamento, mas não existe uma forma simples de responder a esta pergunta.

Alguns programas de afiliados são melhores em certos aspetos técnicos, alguns destacam-se pelo serviço de apoio ao afiliado, pelo número de ofertas, pelos tipos de campanhas, etc, etc, etc.

Seja qual for o seu nicho de mercado, existem vários programas que pode usar para ganhar dinheiro.

O que importa mesmo é escolher o programa de afiliados certo para o seu blog.

Dito de outra forma, o que importa é escolher o programa de afiliados certo para as pessoas que visitam o seu blog.

E ainda podemos dizer de outra forma, o que importa é escolher um programa de afiliados com ofertas ajustadas aos interesses das pessoas que visitam o seu blog.

Estou a ser repetitivo, não estou?

Infelizmente, a maior parte dos bloggers não pensa desta forma.

Claro que toda a gente quer ganhar dinheiro!

Mas se um blog fala de culinária e tentar vender pneus para o carro, acha que vai correr bem?

Claro que não.

Então, não se preocupe muito com detalhes.

Para já, pense menos em dinheiro e pense mais nas seguintes questões:

  • A minha oferta vai de encontro aos interesses das pessoas que visitam o meu blog?
  • A minha oferta está a ajudar de alguma forma as pessoas que visitam o meu blog?

Este é o fator mais decisivo para o seu sucesso a longo prazo.

Como escolher o programa de afiliados certo para o meu blog?

Mais uma vez, o mais importante é encontrar ofertas que vão de acordo ao tema do seu blog e aos interesses das pessoas que o visitam.

Muito facilmente vai encontrar várias.

Para conseguir escolher a melhor opção para si, convém que esteja à vontade com alguns termos.

Redes de afiliados

Basicamente, é um intermediário que faz a ligação entre os afiliados e uma série de empresas que querem vender os seus produtos na internet, como o Google AdSense faz na publicidade digital.

CPS

Cost-per-sale ou, em Português, custo por venda.

Neste tipo de campanhas o afiliado ganha dinheiro quando alguém compra um produto.

CPA

Cost-per-action ou custo por ação.

Neste tipo de campanhas o afiliado ganha quando alguém completa uma ação, como preencher um formulário, por exemplo.

CPL

Cost-per-lead ou custo por contacto.

Aqui, o afiliado ganha quando alguém mostra interesse em determinado produto ou serviço e fornece os seus dados pessoais.

CPI

Cost-per-install ou custo por instalação.

O afiliado ganha quando alguém instala uma aplicação ou software.

CPC

Cost-per-click ou custo por clique.

O afiliado ganha por cada clique que leva as pessoas até determinado site.

CPM

Cost-per-thousand-impressions ou custo por mil impressões.

O afiliado ganha por cada mil vizualizações de uma publicidade.

Cookies

Os cookies são pedaços de informação que é guardada no computador de um utilizador enquanto visita determinado site.

No contexto do marketing de afiliados, os cookies permitem verificar qual é o afiliado responsável pela venda, impressão, clique, etc.

Aqui, o importante é saber qual é o prazo de validade dos cookies de cada programa de afiliados.

Imagine que você recomenda um produto e o utilizador demora três dias até fazer a compra. Se o programa de afiliados tiver cookies com prazo de validade de 24h não vai receber comissão por esta venda.

Net 15, net 30 e net 60

Estas expressões explicam a frequência com que um afiliado recebe os seus pagamentos.

No caso, 15, 30 ou 60 dias depois de ser emitida uma fatura.

Ou seja, imagine que uma fatura é emitida no dia 31 de Março.

O afiliado recebe o pagamento a 15 de Abril (Net 15), 30 de Abril (Net 30) ou 31 de Maio (Net 60).

Os melhores programas de afiliados para ganhar mais dinheiro em 2019

Tentei ser bastante exaustivo, mas existem centenas de programas de afiliados que não estão nesta lista.

Só mesmo o Google talvez tenha conhecimento de todos eles

Por isso, não seja tímido e pergunte!

Como procurar os melhores programas de afiliados no Google

Mesmo que você ache a sua pergunta ridícula…

O mais provável é encontrar exatamente aquilo que está à procura.

Amazon Associates

Seja qual for o nicho de mercado do seu blog, vai encontrar produtos para promover com este programa de afiliados.

Esse é, provavelmente, o aspeto mais positivo deste programa e a razão pela qual ele é tão popular.

Existem outros aspetos a ter conta, alguns menos positivos.

O programa paga comissões até 10%, dependendo da categoria do produto.

Em comparação com outros programas de afiliados, 10% é uma percentagem bastante baixa.

Pior, na maior parte das categorias de produtos a comissão é ainda mais baixa, podendo chegar aos 1%.

Talvez ainda pior, o prazo de validade dos cookies é de 24h.

Outra questão, se morar fora dos Estados Unidos, um afiliados só pode receber os pagamentos através de cheque, assim que acumulem $100, num ciclo Net 60.

Por último, se vai participar deste programa de afiliados convém ler com muita atenção os termos e condições.

A Amazon tem zero tolerância para incumprimentos e tem a mão muito pesada.

A sua conta pode ser banida e as suas comissões podem ser retidas.

Claro, o programa é extremamente popular em função da confiança que os utilizadores têm neste marca.

Ebay Partner Network

Tal como no caso anterior, existem milhões e milhões de produtos diferentes que um afiliado pode promover no seu blog.

Talvez não tanto como a Amazon, mas o Ebay também é uma marca muito popular e quem faz compras online confia bastante nesta plataforma de e-commerce.

É por isso que este programa de afiliados é extremamente popular.

Mas, como em tudo na vida, existem aspetos positivos e negativos.

O eBay paga comissões entre os 50% e os 70% dependendo da categoria do produto, ou seja, percentagens bastante mais generosas do que a Amazon.

Tal como na Amazon, os cookies têm um prazo de validade de apenas 24 horas.

Aqui, os utilizadores podem receber os seus pagamentos via Paypal, assim que acumulem $25, num ciclo Net 30.

AliExpress Affiliate Program

O programa de afiliados do gigante Chinês do e-commerce paga comissões até 10%.
Um ponto a favor, os cookies têm um prazo de validade de 30 dias.

Os pagamentos são feitos por transferência bancária, assim que o afiliado acumule comissões no valor de $16, num ciclo Net 30.

É uma marca perfeitamente estabelecida, mas o AliExpress ainda gera alguma desconfiança quando comparado com a Amazon ou o eBay.

Também convém pensar na qualidade dos produtos que está a recomendar aos seus utilizadores.

Em muitos casos, o estereótipo do produtos chineses de fraquissíma qualidade é totalmente falso.

Em muitos outros, infelizmente, é um problema real.

Outra preocupação, problemas relacionados com violação de direitos de autor.

Pense bem no tipo de produtos que vai recomendar aos seus utilizadores!

CJ Affiliate by Conversant

Fundada em 1998, esta empresa Americana especializa-se em ofertas CPA.

Se a sua inscrição no programa for aceite, vai encontrar milhares e milhares de ofertas que para promover.

Os detalhes de cada programa vão depender do anunciante mas, uma vez que a rede lida principalmente com ofertas CPA, a sua taxa de conversão provavelmente vai aumentar, mas o valor da comissão tende a baixar bastante.

Alguns dos clientes da CJ Affiliate by Conversant incluem a GoPro, a 24hour Fitness, e a Barnes % Noble, entre outros.

Share A Sale

Outra rede de afiliados com muitos anos de história, a Share A Sale é uma empresa Americana que foi fundada em 2000.

Entre os clientes, muito rapidamente encontramos nomes como a Reebok, a Masterclass, a Gearbest, a NBA, entre muitos, muitos outros.

Os afiliados são pagos assim que acumulem comissões no valor de $50.

Clickbank

O Clickbank é um site de e-commerce bastante interessante.

De cursos, a produtos físicos, produtos digitais, software, ebooks, o número de ofertas é gigante.

É incrivelmente fácil abrir a lista de ofertas e encontrar programas com comissões de 75%.

Por outro lado, também é bastante fácil encontrar produtos que aparentam ser de fraca qualidade.

Em alguns nichos de mercado, um dos melhores programas de afiliados, mas pode não ser a opção certa para você.

Wide Markets

Fundada em 2015, esta empresa Israelita foca-se nos nichos da indústria automóvel, do e-comerce, dos videojogos, das viagens, finanças e retalho online.

As campanhas variam entre uma série de modelos diferentes, como CPA, CPC, CPM, CPL e CPI.

Os pagamentos são feitos via Paypal ou transferência bancária, assim que os afiliados acumulem $250 de comissões.

Peerfly

Desde que foi fundada em 2009, esta empresa Americana gerou mais de 100 milhões de dólares em receitas para os seus clientes.

Exclusivamente dedicada às campanhas CPA, a Peerfly faz pagamento mensais, bi-semanais e a cada semana, via Paypal, Payoneer, Bitcoin ou transferência bancária.

Sobre os clientes e detalhes concretos das campanhas ativas, não é particularmente fácil encontrar informação.

Commission Factory

Dedicada principalmente a ofertas CPS na área do retalho, esta empresa Australiana foi fundada em 2011.

As comissões, prazo de validade dos cookies e outros detalhes variam consoante a campanha e o anunciante mas, de uma forma geral, os cookies têm validade até 60 dias e as comissões vão até aos 10%.

Entre os seus clientes, incluem-se a Airbnb, a Sephora, o AliExpress, a Samsung, entre muitos outros.

Os pagamentos são feitos via Paypal ou transferência bancária, a cada semana ou mensalmente

FlexOffers

Esta empresa Americana dedica-se às ofertas CPS e CPA e foi fundada em 2008.

Os afiliados podem receber os pagamentos assim que acumulem comissões no valor de $100, semanalmente ou mensalmente, via Paypal, Payoneer ou por transferência bancária.

A FlexOffers conta com várias centenas de anunciantes e é muito fácil encontrar marcas como a Goodyear, a Lenovo, a NFL, a Trivago, entre outros.

Avantlink

Fundada em 2015, esta empresa Americana dedica-se às ofertas CPS.

A Avantlink descreve-se como uma empresa transparente, e todos as suas campanhas ativas podem ser consultadas publicamente.

Uma vista de olhos rápida, e podemos encontrar clientes como a Whirlpool, o Tony Robbins, a Logitech, a Adidas, entre centenas de outros.

As condições de cada campanha variam, mas a Avantlink tem cookies com prazo de validade bastante alargado.

Olavivo

Fundada em 2017, esta empresa Israelita dedica-se aos nichos de mercado do e-commerce, saúde, beleza e criptomoedas.

A Olaviva tem um leque de campanhas muito alargado, com ofertas CPS, CPL, CPM, CPC, CPI e Rev-Share.

Os afiliados podem receber os pagamentos mensalmente, a cada duas semanas ou mensalmente, desde que acumulem $250 de comissões.

CrakRevenue

Fundada em 2011, esta empresa especializa-se em campanhas CPA.

Muito focada no entretenimento adulto, na CrakRenenue também existem ofertas relacionadas com a nutrição, videojogos, criptomoedas, jogos de azar, entre outros nichos de mercado.

Os afiliados são pagos assim que acumulem $100 de comissões via cheque, transferência bancária ou paxum.

GiddyUp

Desde 2013, esta empresa Americana já lançou mais de 50 marcas e gerou receitas superiores a 300 milhões de dólares para os seus clientes.

A GiddyUp dedica-se a nichos de mercado menos óbvios, produtos extremamente incomuns e marcas menos conhecidas.

É difícil encontrar muitos detalhes sobre as campanhas que os afiliados da empresa promovem mas, se o seu blog se alinhar com empresa, a GiddyUp parece ser uma excelente parceira de negócio.

JVZoo

Fundada em 2011, esta empresa é um dos nomes mais populares quando se fala de marketing de afiliados.

No entanto, a JVZoo não tem a melhor das reputações e, em alguns casos, as críticas que lhe são feitas são legítimas.

Em muitas dos casos anteriores, os anunciantes das redes de afiliados são algumas das maiores empresas do mundo. A JVZoo é um pouco diferente…

Aqui, os criadores de conteúdo têm acesso a um mercado populado por produtos que, às vezes, podem ser um simples ebook.

A maior parte das críticas à JVZoo estão relacionadas com a qualidade de alguns dos produtos disponíveis no mercado, e a honestidade de alguns dos anunciantes.

O mercado é maioritariamente conhecido pelas ofertas relacionadas com o
Por outro lado, a JVZoo é uma empresa extremamente focada em facilitar o trabalho dos criadores de conteúdo e dos anunciantes.

Dos cookies com prazo de validade vitalício, ao excelente apoio ao cliente, comissões de 75% em alguns produtos, e pagamentos instantâneos, a JVZoo têm muito para oferecer a anunciantes e afiliados.

Tradedoubler

Esta empresa Sueca foi fundada em 1999 e listada na bolsa de Estocolmo em 2005.

Com 20 anos de atividade, a Tradedoubler é nome com muita, muita história e com uma reputação invejável para qualquer empresa ligada ao marketing digital e às redes de afiliados.

Atualmente, a empresa está presente em nove países do continente Europeu, com escritórios na Suécia, no Reino Unido, França, Alemanha, Suiça, Holanda, Espanha, Itália e Polónia.

Com mais de 1800 anunciantes e mais de 180 mil criadores de conteúdo, já conseguiu gerar receitas de valor superior a 1 bilião de euros para os seus clientes.

A Philips, a Groupon, a Microsoft, A ClubMed, a Puma, o Santander, a HP e a Disney são algumas das empresa que confiam na Tradebouble para promover os seus produtos.

Se a sua candidatura a afiliado foi aprovada, vai encontrar campanhas nas quais pode ser pago por venda (CPS), por clique (CPC), por contacto (CPL) e por impressões (CPM).

Outro ponto a favor, a empresa desenvolveu uma tecnologia de tracking proprietária e consegue validar o tráfego dos criadores de conteúdo mesmo quando as suas visitas tem os cookies desativos.

Os afiliados são pagos mensalmente, desde que acumulem £30 de comissões.

No entanto, para participar como afiliado o seu site deve ter um volume considerável de tráfego do Reino Unido.

Obrigado por visitar
O Blog do Empreendedor!

Se achar que esta lista dos melhores programas de afiliados está incompleta, por favor, partilhe nos comentários o seu programa favorito.

Se tiver alguma dúvida, sugestão, correção a fazer, ou caso queira entrar em contacto, seja por que motivo for, envie-me uma mensagem!

30 alternativas ao AdSense para ganhar dinheiro com um blog em 2019

Photo by Paweł Czerwiński on Unsplash

Está à procura de alternativas ao AdSense?

Então, está no sítio certo!

Vamos falar de 30 empresas que têm um modelo de negócio parecido e que pode usar para ganhar dinheiro com anúncios no seu blog.

Vai encontrar alguns termos técnicos ao longo deste artigo.

Sempre que precisar, pode pesquisar o significado aqui.

Espero que ajude 🙂

Importante:

No final deste artigo vou dar algumas dicas sobre como escolher a opção certa para cada caso específico.

Por isso, se está determinado a levar o seu blog para o próximo nível, leia até ao fim!

Queres ganhar dinheiro com um blog?

Eu criei um guia com as etapas mais importantes para arrancar na direção certa!

Carrega aqui para ler: Como criar um blog profissional: 16 passos cruciais para o seu sucesso

[adinserter block=”2″]

As melhores alternativas ao AdSense: Classe A

As melhores alternativas ao AdSense: Classe A

1. AdThrive

Quem pode aderir?

A AdThrive tem patamares de qualidade extremamente elevados.

Para serem aceites, todos os sites devem ter pelo menos 100 mil visualizações de página por mês.

O país de origem do tráfego deve ser, principalmente, os Estados Unidos.

Os sites não podem estar banidos do Google AdSense e devem ter conteúdo 100% original.

Como é que funciona?

A AdThrive funciona no modelo CPM, ou seja, paga por visualizações de anúncios.

Todos os sites recebem um plano de anúncios personalizado, que é desenhado em função do design do site.

O objetivo é que os anúncios tenham a melhor performance possível.

A empresa distribui display ads, native ads, interscrollers, conteúdo patrocinado e vídeo.

Como é que a AdThrive paga?

É possível receber pagamentos através de transferência bancária, cheque ou PayPal.

O montante mínimo são 25$ de receitas.

A AdThrive funciona num ciclo de pagamentos Net45.

Vale a pena usar a AdThrive?

De todas as alternativas ao AdSense, se há uma que pode ser descrita como premium é a AdThrive.

Ou seja, usar a AdThrive é um privilégio e o sonho de qualquer blogger.

A excelente reputação da empresa não é uma coincidência.

Eles são conhecidos por aumentar imenso a receita dos sites com os quais trabalham.

Além disso, o serviço de apoio é outra das razões pelas quais os bloggers adoram a empresa.

Se o seu blog cumprir os requisitos, devia mesmo tentar aderir à AdThrive.

Especialmente porque vai ficar em fila de espera bastante tempo…

Apesar de ser possível usar a AdThrive em conjunto com o Google AdSense, ou outras redes de anúncios, para muitos bloggers acaba por ser mais lucrativo usar só a AdThrive.

Ir para o site

2. Mediavine

Quem pode aderir?

Outra empresa com padrões de qualidade muito altos, nem todos os sites são aceites.

É preciso ter um mínimo de 25 mil sessões por mês.

Além disso, é necessário cumprir uma série de outros requisitos relacionados com a qualidade do conteúdo, design do site, etc.

E apesar de não conseguir encontrar informação oficial que o confirme, a Mediavine trabalha quase exclusivamente com sites escrito Inglês.

Como é que funciona?

A Mediavine também funciona no modelo CPM.

A empresa disponibiliza um pequeno script para ser instalado nos sites, de forma a conseguir optimizar a performance dos anúncios de acordo cada layout.

Distribui display ads, native ads, vídeo e conteúdo patrocinado.

Quando são aceites, os sites assinam um acordo de exclusividade.

Ou seja, enquanto usarem a Mediavine, não é possível usar qualquer outra rede de anúncios em simultâneo.

Como é que a Mediavine paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, cheque e PayPal.

O valor mínimo são 25$.

O ciclo de pagamentos da empresa é Net65.

Vale a pena usar a Mediavine?

Se vai colocar anúncios no seu site a Mediavine é uma das melhores empresas para o ajudar.

Nem toda a gente vai conseguir comprir os requisitos necessários, mas se tiver a possibiliadde de trocar o Google AdSense pela Mediavine de certeza vai ganhar mais dinheiro.

A única parte que pode ser menos positiva, o contrato de exclusividade impede-o de diversificar as fontes de rendimentos de anúncios.

Ir para o site

3. Media.net

Quem pode aderir?

Apesar de não mencionar um número específico, de acordo com a empresa, a participação está limitida a sites com uma “quantidade significativa de tráfego”.

Os países de origem desse tráfego devem ser, principalmente, os Estados Unidos, o Canadá e o Reino Unido.

Existem uma série de outros critérios relacionados, principalmente, com a qualidade do conteúdo.

Como é que funciona?

A empresa funciona no modelo CPC.

Cada site que trabalha com a Media.net tem um Ad Manager.

Ou seja, uma pessoa que tem a responsabilidade de comunicar com o dono do site e descobrir como gerar o máximo de receita possível.

A empresa possui tecnologia proprietária que usa para distribuir os seus anúncios.

Basicamente, os anúncios vão ser um reflexo do conteúdo do seu site.

Se uma página falar sobre gatos, os seus utilizadores vão ver anúncios sobre gatos.

A Media.net distribui display ads e native ads.

Como é que a Media.net paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de faturação é Net30.

Vale a pena usar a Media.net?

Esta empresa funciona especialmente bem em nichos de mercado que sejam ricos em produtos físicos.

Se não puder usar o Google AdSense, seja porque motivo for, a Media.net é uma boa alternativa.

É perfeitamente possível usar as duas redes de anúncios em simultâneo.

Tendencialmente, os rendimentos provenientes da Media.net são bastante maiores.

Ir para o site

4. Monumetric

Quem pode aderir?

Sites que tenham mais de 10 mil visualizações de página por mês.

Não existe informação explícita que limite a participação a sites de língua Inglesa.

Como em casos anteriores, a Monumetric também é exigente no que toca à qualidade do conteúdo dos seus parceiros.

Como é que funciona?

Para sites com menos de 80 mil visualizações de página por mês, a adesão tem um custo inicial de $99.

Não posso garantir, mas tenho quase a certeza que os $99 são retirados diretamente das receitas iniciais.

A Monumetric funciona no modelo CPM e distribui display-ads e vídeo.

Como é que a Monumetric paga?

É possível fazer levantamentos transferência bancária e cheque.

O valor mínimo são $100 de comissões.

O ciclo de faturação é Net60.

Vale a pena usar a Monumetric?

A empresa tem uma óptima reputação.

A Monumetric é outra das alternativas ao AdSense que é compatível com outras redes de anúncios.

Ou seja, pode ser boa forma de diversificar as receitas geradas por anúncios.

Ir para o site

5. Conversant

Quem pode aderir?

Sites com mais de 3 mil visualizações de página por mês.

A participação está limitada a sites escritos em Inglês.

Para lá destas duas questões, a Conversant é uma empresa que está atenta à qualidade do conteúdo dos seus parceiros.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas nos modelos CPM e CPC.

Distribui principalmente display ads e vídeo.

Como é que a Conversant paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, cheque e PayPal.

O valor mínimo são 25$.

O ciclo de pagamentos da empresa é Net30.

Vale a pena usar a Conversant?

Esta empresa tem boa reputação.

Ela faz parte do grupo que também gere o CJ Affiliate.

No entanto, se em casos anteriores é fácil encontrar informação concreta sobre o funcionamento da empresa, aqui é mais difícil.

É compatível com o Google AdSense e outras redes de anúncios, e é uma boa alternativa a ter em conta.

Ir para o site

As melhores alternativas ao AdSense: Classe B

As melhores alternativas ao AdSense: Classe B

6. Gourmet Ads

Quem pode aderir?

Sites com 10 mil visualizações de página por mês.

Os países de origem do tráfego devem ser, principalmente, os Estados Unidos, o Canadá, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

A Gourmet Ads é exigente no que diz respeito à qualidade do conteúdo e ao design do site.

Como é que funciona?

A Gourmet Ads é uma rede de anúncios que só trabalha com publicações relacionadas com comida.

Dedica-se exclusivamente a campanhas CPM.

Distribui display ads e vídeo.

Como é que a Gourmet Ads paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de pagamentos é Net60.

Vale a pena usar a Gourmet Ads?

Como vimos, a Gourmet Ads só opção para blogs que falam de comida, receitas, culinária, etc.

Se for o seu caso, sem dúvida uma das melhores alternativas ao AdSense à sua disposição.

Ir para o site

7. Sovrn

Quem pode aderir?

A Sovrn não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

No entanto, é bastante claro que a exigência em termos de qualidade do conteúdo, design do site, etc, é bastante elevada.

Como é que funciona?

As campanhas da Sovrn funcionam no modelo CPM.

A empresa distribui exclusivamente display ads.

Como é que a Sovrn paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, cheque e PayPal.

O valor mínimo são 25$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Sovrn?

Não tenho experiência pessoal com a empresa, mas parece ser um parceiro com muito potencial para bloggers de língua Portuguesa.

Ir para o site

8. Revcontent

Quem pode aderir?

Não consigo encontrar informação oficial, mas várias fontes indicam que o limite mínimo em termos de tráfego são 100 mil visualizações de página por mês.

Os países de origem do tráfego devem ser, principalmente, os Estados Unidos, o Canadá, o Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e Índia.

A Revcontent é extremamente exigente no que diz respeito à qualidade do conteúdo dos seus parceiros.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas CPC e CPM.

Distribui principalmente native ads e conteúdo patrocinado.

Como é que a Revcontent paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Revcontent?

Se cumprir os requisitos da empresa, talvez seja uma boa opção.

Os native ads podem ser bastante lucrativos.

No entanto, em alguns sites não funcionam muito bem.

Ir para o site

9. MonetizeMore

Quem pode aderir?

Sites com 500 mil visualizações de páginas por mês.

A empresa aceita sites de língua Portuguesa.

A MonetizeMore é exigente em relação à qualidade geral das plataformas dos seus parceiros.

Como é que funciona?

A MonetizeMore dedica-se exclusivamente a campanhas CPM.

Distribui principalmente display ads.

Como é que a MonetizeMore paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a MonetizeMore?

Sem dúvida.

Se cumprir os requisitos necessários, a MonetizeMore pode ser uma excelente fonte de rendimento para bloggers de língua Portuguesa.

Ir para o site

10. Infolinks

Quem pode aderir?

A empresa não menciona restrições específicas em termos de volume de tráfego.

Sites escritos em Português são aceites.

Existem alguns requisitos relacionados com a qualidade do conteúdo e o design do site.

Como é que funciona?

A empresa é muito conhecida por campanhas CPC mas também é possível encontrar campanhas CPM.

Tal como em casos anteriores, os anúncios distribuidos em função do contexto do conteúdo do seu site.

Distribui, principalmente, display e in-text ads.

Como é que o Infolinks paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos da empresa é Net45.

Vale a pena usar o Infolinks?

O Infolinks pode ser o primeiro passo de monetização para muitos bloggers.

Também pode ser utilizado em conjunto com o Google AdSense.

No entanto, é preciso usar os anúncios do Infolinks com alguma ponderação.

Eles podem ser um pouco intrusivos e comprometer a experiência e a confiança dos seus utilizadores.

Ir para o site

As melhores alternativas ao AdSense: Classe C

As melhores alternativas ao AdSense: Classe C

11. Vibrant Media

Quem pode aderir?

Não consigo encontrar informação oficial sobre valores mínimos em termos de tráfego.

No entanto, várias fontes indicam que a participação está limitada a sites com 500 mil visualizações de página por mês.

Não parece existir restrições em termos de idioma, mas também não é possível confirmar através de fonte oficial.

Como funciona?

A maior parte das campanhas da empresa funcionam no modelo CPC.

Distribui, principalmente, display ads e in-text.

Como é que a Vibrant Media paga?

É possível fazer levantamentos através de transferência bancária, cheque e PayPal.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de faturação da empresa é Net45.

Vale a pena usar a Vibrant Media?

Muito semelhante ao Infolinks.

Tal como outras alternativas ao AdSense de que já falamos, é compatível com outras redes de anúncios.

Também aqui, apesar de a empresa ter boa reputação, é recomendável que os anúncios sejam colocados com alguma ponderação e vigilância.

Ir para o site

12. Adversal

Quem pode aderir?

Sites com 50 mil visualizações por mês.

Em termos geográficos, aceita tráfego de todo o mundo.

Naturalmente, existem outros critérios relacionados, principalmente, com a qualidade do conteúdo.

Como funciona?

As campanhas da empresa funcionam nos modelos CPC e CPM.

Distribui display ads, pop-unders e ministitial ads.

Como é que a Adversal paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, cheque e PayPal.

O valor mínimo são 20$.

O ciclo de pagamentos é Net35.

Vale a pena usar a Adversal?

A Adversal pode ser a porta de entrada da monetização para muitos sites de língua Portuguesa.

Os requisitos mínimos para levantamentos também é algo bastante atrativo para bloggers menos experientes.

Por outro lado, há questões relacionadas com a qualidade dos anúncios que não existem em algumas das empresas anteriores, principalmente quando falamos de pop-unders.

Ir para o site

13. Chitika

Quem pode aderir?

Não há valores mínimos em termos de tráfego.

Apesar de a participação não estar limitada a sites de língua Inglesa, as excepções são algo raras.

Como é que funciona?

As campanhas da empresa são principalmente CPC.

A tecnologia proprietária da empresa contextualiza os anúncios em função das keywords que são introduzidas nos motores de busca.

Ou seja, mesmo que o seu artigo fale de “gatos”, se o utilizador escrever “barcos” no motor de busca e entrar nesse artigo só vai ver anúncios sobre barcos.

Distribui, principalmente, anúncios in-text.

Como é que a Chitika paga?

É possível receber pagamentos via cheque ou PayPal.

O valor mínimo são 10$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Chitika?

Talvez.

É uma solução muito parecida com o Infolinks.

Também é compatível com o Google AdSense e outras redes de anúncios.

Tal como o Infolinks, é necessário monitorizar a qualidade dos anúncios e zelar pela experência do utilizador.

Ir para o site

14. Adsterra

Quem pode aderir?

Sites que estejam acima da posição 1M no ranking Alexa.

A empresa aceita sites em qualquer idioma.

Existem requisitos em termos de qualidade do conteúdo e design do site.

Como é que funciona?

A Adsterra tem campanhas CPM, CPC e CPA.

Distribui display ads, vídeo, interstitials, in-text, notificações push e pop-unders.

Como é que a Adsterra paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, PayPal e Bitcoin.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de pagamentos é Net15.

Vale a pena usar a Adsterra?

Em príncipio, a Adsterra é uma solução para quem não consegue mesmo usar o Google AdSense.

Aconselho ter muita atenção à qualidade dos anúncios que são distribuidos.

Quando começamos a falar de coisas como pop-unders, será que vale mesmo a pena fazer isso aos seus utilizadores?

Ir para o site

15. BidVertiser

Quem pode aderir?

A BidVertiser não tem restricões em termos de tráfego ou idioma.

De acordo com a empresa, os sites têm aprovação imediata.

Como é que funciona?

As campanhas da BidVertiser variam entre os modelos CPM, CPC e CPA.

Distribui principalmente display ads, in-text e pop-unders.

Como é que a BidVertiser paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, cheque, PayPal ou Bitcoin.

O valor mínimo são 10$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a BidVertiser?

Se não houver outra hipótese, pode começar a monetizar o seu blog com a BidVertiser.

No entanto, se tem uma visão a longo prazo, dificilmente ficará muito tempo com esta empresa.

Convém ter atenção à qualidade dos anúncios.

Ir para o site

As melhores alternativas ao AdSense: Classe D

As melhores alternativas ao AdSense: Classe D

16. Propeller Ads Media

Quem pode aderir?

A Propeller Ads não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

No entanto, existem normas em relação ao conteúdo que devem ser cumpridas para evitar suspensão.

Como é que funciona?

A Propeller Ads é conhecida principalmente pelas suas campanhas CPM, mas também é possível encontrar modelos CPC.

Distribui display ads, pop-unders, video, interstitials, notificações push, entre outros.

Como é que a Propeller Ads paga?

É possível fazer levantamentos por transferência bancária, PayPal, Skrill e Payoneer.

O valor mínimo são 5$.

A Propeller Ads paga num ciclo Net30.

Vale a pena usar a Propeller Ads?

Depende.

A Propeller Ads facilita muito o trabalho dos bloggers com pouca experiência.

No entanto, convém pensar duas vezes antes de usar algumas alternativas ao AdSense e servir alguns tipos de anúncios.

Ir para o site

17. Sortable

Quem pode aderir?

A Sortable não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

Existem normas em relação ao conteúdo às quais os sites devem aderir.

Como é que funciona?

Tal como na Mediavine, uma das condições da Sortable é a exclusividade.

As campanhas funcionam principalmente no modelo CPM, mas também há ofertas CPC e CPA.

Distribui principalmente display ads.

Como é que a Sortable paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária.

Não consigo encontrar informação em relação ao valor mínimo.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Sortable?

Esta empresa é mais ou menos recente.

Por um lado, é normal que nos primeiros anos o serviço tenha alguma falhas.

Por outro, existe pouco histórico de feedback para consultar.

Pelo menos, vale a pena experimentar.

Ir para o site

18. AdClerks

Quem pode aderir?

Sites com 100 mil visualizações de página por mês, apesar de a empresa admitir que podem existir excepções.

A participação está limita a sites de língua Inglesa.

Existem requisitos relacionados com a qualidade do conteúdo e o design do site.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas nos modelos CPM, CPC e CPA.

Muito interessante, aparentemente é possível alugar o inventário de anúncios por um valor mensal fixo.

A empresa distribui display ads.

Como é que a AdClerks paga?

É possível fazer levantamentos via PayPal.

O valor mínimo são 25$.

O ciclo de pagamentos é Net60.

Vale a pena usar a AdClerks?

Outra empresa bastante recente, mas que pode ser bastante interessante.

Vale a pena experimentar, caso cumpra os requisitos mínimos.

Ir para o site

19. MediaVenus

Quem pode aderir?

Sites com 500 utilizadores por dia.

A empresa não faz referência a restrições em termos de idioma e o site está completamente traduzido para Português.

Aplicam-se as regras do costume no que diz respeito à qualidade do conteúdo e do design do site.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas CPM e CPC.

Distribui display ads e pop-ups.

Como é que a MediaVenus paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 15$.

O ciclo de pagamentos é Net7.

Vale a pena usar a MediaVenus?

Outra empresa relativamente recente.

Uma opção extremamente interessante para bloggers de língua Portuguesa.

Ir para o site

20. AdCash

Quem pode aderir?

A AdCash não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

Naturalmente, existem outros requisitos que podem fazer com que os sites não sejam aceites.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas CPM, CPC, CPA e CPL.

Distribui display ads, interstitials, native ads, notificações push e pop-unders.

Como é que a AdCash paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, PayPal, Payoneer, Skrill e Bitcoin.

O valor mínimo são 25$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a AdCash?

Apesar de alguns formatos de anúncios serem um pouco intrusivos, a empresa transmite alguma confiança.

Pelo menos, vale a pena experimentar.

Ir para o site

As melhores alternativas ao Adsense: Classe E

As melhores alternativas ao Adsense: Classe E

21. Galaksion

Quem pode aderir?

A Galaksion não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

Existem requisitos relacionados com a qualidade do conteúdo e o design do site.

Como é que funciona?

A Galaksion tem campanhas em vários modelos de monetização.

Distribui display ads, pop-ups, pop-under, tab-unders, video, interstitials, sliders, etc.

Como é que a Galaksion paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 100€.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Galaksion?

Acho que existem outras opções com mais potencial.

No entanto, vale a pena testar.

Ir para o site

22. Adblade

Quem pode aderir?

Sites com 500 mil visualizações de página po mês.

A empresa não refere quaisquer restrições em termos de idioma.

Como é que funciona?

A maior parte das campanhas CPM, mas é possível encontrar campanhas CPC e CPL.

Distribui display ads, native ads e conteúdo patrocinado.

Como é que a Adblade paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária.

O valor mínimo são 250$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Adblade?

Existem opções com mais potencial para bloggers com pouca experiência.

Principalmente face aos requisitos de tráfego e ao valor mínimo para fazer levantamentos na Adblade.

Ir para o site

23. Taboola

Quem pode aderir?

Sites com 500 mil visualizações de página por mês.

A Taboola não tem restrições em termos de idioma.

Como é que funciona?

As campanhas da empresa funcionam no modelo CPC.

Dedica-se quase exclusivamente aos native-ads.

Como é que a Taboola paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e Payoneer.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net45.

Vale a pena usar a Taboola?

Depende.

Os native ads podem ser bastante lucrativos mas funcionam especialmente bem em sites de notícias ou entretenimento.

Ir para o site

24. Revenue Hits

Quem pode aderir?

A empresa não tem restrições em termos de tráfego ou idioma.

Todos os sites têm aprovação imediata.

Como é que funciona?

A Revenue Hits tem campanhas CPM, CPA, CPL e CPI.

Distribui display ads, pop-ups, interstitials, sliders, entre outros.

Como é que a Revenue Hits paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, PayPal e Payoneer.

O valor mínimo são 20$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Revenue Hits?

Depende.

Se estiver confortável a servir muitos anúncios de fraca qualidade, a Revenue Hits pode devolver receitas interessantes.

Ir para o site

25. AdClickMedia

Quem pode aderir?

Sites com 5 mil visualizações de página por mês.

Não há restrições em termos de idioma.

Como é que funciona?

As campanhas da empresa são maioritariamente CPC.

Distribui display ads, interstitials e email.

Como é que a AdClickMedia paga?

É possível fazer levantamentos via PayPal.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net15.

Vale a pena usar a AdClickMedia?

Como em alguns casos anteriores, estamos a falar de soluções que vão exigir um volume muito elevado de anúncios.

Também como em casos anteriores, os anúncios nem sempre vão ser da melhor qualidade.

Depende da relação que tiver com os seus utilizadores…

Ir para o site

As melhores alternativas ao AdSense: Classe F

As melhores alternativas ao AdSense: Classe F

26. HilltopAds

Quem pode aderir?

A empresa não tem restrições em termos de volume de tráfego ou idioma.

Como é que funciona?

As campanhas da empresa são principalmente CPM, mas é possível encontrar outros modelos.

Distribui display ads, pop-ups, pop-unders, native ads, video e notificações push.

Como é que a HilltopAds paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária, Bitcoin e Webmoney.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a HilltopAds?

Está confortável com pop-ups, pop-unders e notificações push?

Se estiver, porque não experimentar?

Ir para o site

27. Adbuff

Quem pode aderir?

Sites com 2000 utilizadores por dia.

A empresa dá preferência a sites de língua Inglesa, mas não há restrições de idioma.

Como é que funciona?

A empresa tem campanhas CPM e CPC.

Distribui display ads e in-text.

Como é que a Adbuff paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e Payoneer.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de pagamentos é Net45.

Vale a pena usar a Adbuff?

A empresa parece ter algum potencial.

Só mesmo testanto, mas agrada-me o facto de haver preocupação com a qualidade e quantidade de anúncios.

Ir para o site

28. Criteo

Quem pode aderir?

A Criteo não tem requisitos mínimos em termos de volume de tráfego ou idioma.

Como é que funciona?

Pelo feedback que consigo recolher, a maior parte dos parceiros usa a Criteo como uma rede secundária que lhes permite aumentar o RPM para alguma % das impressões totais.

A empresa funciona no modelo CPM e CPC.

Distribui exclusivamente display ads.

Como é que a Criteo paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 50€.

O ciclo de pagamentos é Net30.

Vale a pena usar a Criteo?

Principalmente tendo em conta que aceita sites de língua Portuguesa, é uma das alternativas ao AdSense mais interessantes.

Provavelmente estará numa posição mais alta assim que esta lista seja revista.

Ir para o site

29. Exponential

Quem pode aderir?

Sites com 500 mil utilizadores por mês.

Não parece haver restrições em termos de idioma.

Como é que funciona?

A empresa trabalha com campanhas nos modelos CPM e CPA.

Distribui display ads e vídeo.

Como é que a Exponential paga?

É possível fazer levantamentos via cheque e PayPal.

O valor mínimo são 50$.

O ciclo de pagamentos é Net45.

Vale a pena usar a Exponential?

Se cumprir os requisitos em termos de volume de tráfego, vale a pena testar.

Ir para o site

30. RhythmOne

Quem pode aderir?

Sites com 5 mil utilizadores por mês.

Não parece haver restrições em termos de idioma.

Como é que funciona?

A empresa foca-se exclusivamente em campanhas CPM.

Distribui display ads, vídeo, native ads e conteúdo patrocinado.

Como é que a RhythmOne paga?

É possível fazer levantamentos via transferência bancária e PayPal.

O valor mínimo são 100$.

O ciclo de pagamentos é Net60.

Vale a pena usar a RhythmOne?

Há muito pouco feedback sobre esta empresa.

Por isso, de todos as alternativas ao AdSense desta lista, é a mais difícil de avaliar.

Ir para o site

Como escolher as melhores alternativas ao AdSense para o meu blog?

Image by StartupStockPhotos from Pixabay

Começar a trabalhar com uma de rede de anúncios é um processo com muitas etapas.

Implica acrescentar código ao seu site, comunicar com a empresa, optimizar campanhas, analisar relatórios, etc.

Não se muda de rede de anúncios como quem muda de camisa…

Por isso, o melhor é olhar para estas alternativas ao AdSense e procurar parcerias a longo médio prazo.

Assim que se justifique, pode repensar a sua monetização e fazer os ajustes necessários.

Algumas dicas:

  • Evite ser banido do Google AdSense.

Algumas das redes de anúncios que pode usar como alternativa, especialmente as melhores, exigem que você tenha o cadastro limpo ao nível do Google AdSense.

  • Procure redes adequadas ao seu tipo de tráfego.

Há sites onde você tolera anúncios um pouco duvidosos, certo?

E também há sites onde você tem outro tipo de exigência e expectativas em relação ao tipo de anúncios, certo?

Então tenha uma ideia clara em relação ao posicionamento do seu site.

Porque é que algumas redes são mais exigentes?

Porque as marcas que pagam os anúncios também são mais exigentes…

Ou seja, nas redes menos exigentes as marcas pagam menos dinheiro e têm anúncios de pior qualidade.

Em alguns casos pode fazer sentido monetizar com pop-unders, notificações push, etc…

Depende de site para site.

  • Tente diversificar as suas fontes de rendimento.

Por exemplo, combinar uma rede no modelo CPC com uma rede no modelo CPM.

Ou combinar redes de anúncios display com redes de native ads.

Olhe para as alternativas ao AdSense que tem ao seu dispor e tente encontrar a melhor combinação.

Obrigado por visitar
O Blog do Empreendedor!

Quais são as alternativas ao AdSense que, na sua opinião, deviam estar nesta lista?

Por favor, partilhe nos comentários!

Se tiver alguma dúvida, sugestão, correção a fazer, ou caso queira entrar em contacto, seja por que motivo for, envie-me uma mensagem.

Vantagens do WordPress: Vale a pena considerar as alternativas?

Se tens dúvidas em relação às vantagens do WordPress e estás indeciso sobre qual a melhor solução para o teu blog, continua a ler este artigo!

Se tiveres alguma correção a fazer, se encontrares um erro, ou se tiveres alguma dúvida ou sugestão a fazer, envia-me uma mensagem por favor!

Queres ganhar dinheiro com um blog?

Eu criei um guia com as etapas mais importantes para arrancar na direção certa!

Carrega aqui para ler: Como criar um blog profissional: 16 passos cruciais para o seu sucesso

Vou analisar as vantagens do WordPress e comparar com outras soluções, nomeadamente:

  • WordPress.com
  • Blogger
  • Sapo
  • Wix
  • Squarespace

Existem muitas outras plataformas que, para já, ficam fora desta análise…

  • Algumas são mais adequadas no contexto de uma loja online, e não de um blog.
  • Outras são muito recentes e ainda não têm expressão suficiente.
  • Em outros casos, por honesta falta de conhecimento de causa do autor.

Vou tentar sublinhar as vantagens do WordPress em termos de:

  • Preço
  • Usabilidade
  • Customização
  • Segurança
  • SEO
  • Monitorização de tráfego
  • Monetização

Antes de avançar, convém deixar claro que:

  • Não existe nenhuma relação de afiliação entre mim e o WordPress.
  • Este texto não é mais do que uma opinião pessoal. Os leitores são aconselhados a fazer uso do pensamento crítico.
  • Certamente, existem aspetos que eu desconheço sobre o WordPress e todas as outras plataformas que são mencionadas.

[adinserter block=”2″]

As vantagens do WordPress em relação às alternativas

É impossível ignorar a popularidade do WordPress…

Os dados do Google Trends confirmam:

Gráfico comparativo com dados do Google Trends

Durante os últimos 5 anos, em todo o mundo, o WordPress motivou muito mais interesse do que as outras plataformas.

Naturalmente, não faz muito sentido avaliar o Sapo com dados mundiais…

Mas se eu tivesse observado apenas o interesse gerado em Portugal os dados fariam ainda menos sentido, uma vez que em Portugal o Sapo é muito mais do que uma plataforma de blogs.

Claro que o Google Trends não conta a história toda…

Mas de acordo com dados recentes da W3Techs:

  • Atualmente, o WordPress corre em cerca de 30,5% de todos os sites que existem.
  • Quando comparado com outros CMS, o WordPress têm uma quota de mercado de cerca de 60,1%.

Estes números incluem a versão gratuita do WordPress.

Em 2014, a ManageWP estimava que 50% das instalações seriam da versão gratuita.

Em comparação:

O Blogger é utilizado em cerca de 0,9% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,7%.

O Wix é utilizado em cerca de 0,6% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,2%.

O Squarespace é utilizado em cerca de 1% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,9%.

Porquê?

Vamos começar a comparar…

Vantagens do WordPress: Preço

Um homem abre uma caixa registadora
Original: By Bain News Service, publisher [Public domain], via Wikimedia Commons

Vamos listar as várias plataformas da mais barata para a mais cara.

1. Blogger/Sapo: €10

O Google, via a plataforma Blogger, e o Sapo, permitem criar um blog sem qualquer investimento inicial.

Trocar o domínio nomedosite.blogspot.com ou nomedosite.blogs.sapo.pt por um domínio registado não tem qualquer contrapartida em termos de upgrade pago.

Assim sendo, o único custo a ter em conta é o registo do domínio, estimado em cerca de €10 por ano.

2. WordPress: €20

É possível registar domínio e alojamento por apenas €20 por ano!

A Namecheap é uma das empresas que recomendo para os que querem baixar os custos ao máximo.

Carrega aqui para ver os preços deles.

A renovação do alojamento tem um preço estimado de €40 no segundo ano.

3. WordPress.com: €48

O WordPress.com oferece a comodidade da plataforma WordPress, com as limitações de que falaremos mais à frente, de forma totalmente gratuita.

Mas para usar um domínio registado, em vez do nomedosite.wordpress.com, é preciso fazer um upgrade que custa €4 por mês, ou seja, €48 por ano.

Este preço inclui o registo do domínio.

4. Wix: €96

O Wix tem uma subscrição mais barata, mas essa não permite usar um domínio registado.
Essa opção exige um pagamento de €8 por mês, ou seja, €96 por ano.

Convém salientar que a partir do segundo ano o custo da renovação do domínio é acrescentada à subscrição Wix do utilizador.

5. Squarespace: €108

Este é o plano de subscrição mais barato do Squarespace.

Também aqui, a partir do segundo ano o custo da renovação do domínio é acrescentada à subscrição do utilizador.

Vantagens do WordPress: Usabilidade

Crianças a conduzir miniaturas de carros
Original: Bundesarchiv, Bild 183-38392-0002 / Krueger / CC-BY-SA 3.0 [CC BY-SA 3.0 de (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/de/deed.en)], via Wikimedia Commons

Agora, vamos olhar para os sistemas que suportam o design do site e a criação de conteúdos.

Neste caso, acho que não faz sentido criar um ranking…

Estamos a lidar com plataformas sofisticadas, intuitivas e fáceis de utilizar.

Em vários aspetos, elas são muito semelhantes.

Neste capítulo, é perfeitamente legítimo ter preferências pessoais.

Vou deixar alguns screenshots abaixo, mas primeiro vamos agrupar as plataformas em dois grupos:

  • Backoffice: WordPress, Blogger, Sapo
  • Drag & Drop: Wix, Squarespace

A característica que distingue estes dois grupos é:

Backoffice: Nestas plataformas, a criação e gestão de conteúdo é feita num software de gestão. Aquilo que o administrador vê enquanto trabalha no site é muito diferente da apresentação normal do site para os visitantes.

Drag & Drop: Nestas plataformas, a criação e gestão do conteúdo é feita num software que trabalha em cima da apresentação normal do site para os visitantes.

Por fim, alguns screenshots das várias plataformas:

Vantagens do WordPress: Customização

Um homem a consertar uma televisão
Original: By RÁDIÓ ÉS TELEVÍZIÓ ÚJSÁG [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Conseguir alterar o layout e as funcionalidades do blog, de acordo com as exigências do nicho de mercado e os objetivos de negócio, é muito importante para a credibilidade do site.

Também aqui, não me parece que um ranking faça sentido.

Em vez disso, vou tentar listar os aspetos que, na minha opinião, convém poder customizar com alguma liberdade.

  • Menus
  • Header
  • Sidebar
  • Footer
  • Sliders
  • Remover anúncios

Sem entrar exaustivamente em detalhe, faz sentido agrupar as plataformas em dois tiers de possibilidade de customização:

  • Tier 1: WordPress.com; Blogger; Sapo
  • Tier 2: WordPress; Wix; Squarespace

Vantagens do WordPress: Segurança

Soldados americanos na guerra da Coreia
Original: American soldiers in the Korean war; Source: U.S. National Archives and Records Administration; source: En WIKI

Neste capítulo, é importante ser honesto…

O WordPress é um software open-source, ou seja, as linhas de código que estão por trás do WordPress são partilhadas livremente pelas pessoas que desenvolvem a plataforma.

O objetivo é incentivar os utilizadores a colaborar voluntariamente com mais código, de forma a melhorar o design e o funcionamento do software.

Infelizmente, nem todos os utilizadores têm a melhor das intenções.

Alguns plugins são desenvolvidos por hackers, com o objetivo de ganhar acesso ao site de terceiros.

A fuga de informação que desencadeou o caso “Panama Papers” resultou do uso de um plugin que não foi atualizado, e assim se tornou vulnerável ao ataque de hackers.

É muito importante manter o WordPress e todos os plugins atualizados, e só instalar plugins com grande número de instalações e com bom feedback dos seus utilizadores!

Vantagens do WordPress: SEO

Telefonistas da primeira metade do século XX
Original: By Internet Archive Book Images [No restrictions], via Wikimedia Commons

Em teoria, no que diz respeito à optimização para motores de busca, todos os CMS estão em igualdade.

O trabalho de SEO é feito de pequenas tarefas, análise, testes e melhoramentos.

Os motores de busca valorizam conteúdo de boa qualidade que responda à pesquisa do utilizador, independentemente do software que foi usado na sua criação.

Ainda assim, podemos dizer o seguinte:

O código que é utilizado para programar o WordPress foi desenvolvido de forma a facilitar a comunicação com os motores de busca, e as tarefas de análise e indexação.

O interface de criação de conteúdos, com a ajuda de alguns plugins, vai faciliar algumas das tarefas de SEO mais importantes, tais como:

  • Criar e customizar a estrutura de permalinks
  • Definir title tags
  • Criar meta descrições
  • Gerar sitemaps XML
  • Usar categorias e tags
  • Garantir que o site é responsivo para mobile
  • Garantir que o site é rápido
  • Interação com redes sociais
  • Etc, etc, etc

Muitas das outras plataformas oferecem ambientes onde executar algumas, ou mesmo todas destas tarefas, é relativamente fácil.

Ainda assim, parece-me justo destacar o WordPress.

Vantagens do WordPress: Monitorização de tráfego

Uma cientista espreita por um microscópio
Original: FOTO:FORTEPAN / Botár Angéla [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Este é o aspeto em que é mais difícil distinguir as várias plataformas.

Todas elas, com a exceção da subscrição WordPress.com, permitem a integração com Google Analytics.

Nota: Apesar de fornecer relatórios sobre as visitas ao site, de forma a poder analisar o tráfego via Google Analytics, o WordPress.com exige uma subscrição de €25 por mês, ou seja, €300 por ano!

Em todas elas, com excepção do WordPress instalado e alojado pelo utilizador, por não termos acesso ao código de origem, não é possível utilizar ferramentas mais complexas, como por exemplo o pixel do Facebook.

Ainda assim, e por se tratar duma ferramenta da qual só utilizadores muito avançados tiram vantagem, podemos considerar que todas as plataformas se encontram em igualdade neste campo.

Vantagens do WordPress: Monetização

Notas e moedas de vários países
Original: By Sérgio Valle DuarteWikidata has entry Q16269994 with data related to this item. [CC BY 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0)], from Wikimedia Commons

E finalmente, o aspeto sobre o qual toda gente quer saber…

Importante sublinhar que aqui, o sucesso depende muito de todos os outros pontos de que falamos até agora.

WordPress

Como já vimos, o WordPress é um software gratuito e, portanto, não há qualquer limitação ao nível da monetização.

WordPress.com

Já no WordPress.com, a subscrição a partir da qual a monetização é permitida tem o custo de €8 por mês, ou seja, €96 por ano.

No que diz respeito a redes de anunciantes, a única que é possível usar é a WordAds, plataforma interna do WordPress.com.

Ou seja, alternativas como o Google AdSense não são permitidas.

Links de afiliados, posts patrocinados e e-commerce são permitidos.

Blogger

Da mesma forma, nesta plataforma Google, aparentemente estamos limitados à rede de anunciantes AdSense.

A Blogger também oferece acesso à sua rede Google Affiliate Ads, bem como integração com Amazon Associates.

Todas as outras formas comuns de monetização são permitidas, desde que tecnicamente seja possível implementá-las.

Sapo

O Sapo tem uma rede de parceiros em que, de acordo com os site:

Estabelecemos parcerias com um número muito reduzido de blogs, tipicamente com dezenas de milhares de visitas. As receitas geradas por essa publicidade são depois repartidas com o autor do blog.

Os termos em que as receitas são repartidas não são divulgados…

Google AdSense não é uma opção, por motivos técnicos que envolvem os subdomínios blogs.sapo.pt.

Pelo mesmo motivo, é plausível supor que todas as outras redes de anunciantes também não sejam viáveis.

Mais do que isso, nas “Condições de utilização – Portal Sapo”, o site descreve regras de utilização da plataforma de blogs que, na minha opinião, devem ser suficientes para afastar qualquer blogger com aspirações sérias ao nível da monetização…

Wix & Squarespace

Estas plataformas, tal como o WordPress, não colocam qualquer limitação ao utilizador.

A diferença prende-se mais com a implementação de cada forma monetização dum ponto de vista técnico.

Conclusão?

Penso que após análise, que tentei manter tão honesta quanto possível, as vantagens do WordPress são demais evidentes.

Utilizadores menos avançados têm outras opções à sua disposição, algumas melhores outras piores.

Outros artigos que talvez sejam do teu interesse: