Vantagens do WordPress: Vale a pena considerar as alternativas?

Se tens dúvidas em relação às vantagens do WordPress e estás indeciso sobre qual a melhor solução para o teu blog, continua a ler este artigo!

Se tiveres alguma correção a fazer, se encontrares um erro, ou se tiveres alguma dúvida ou sugestão a fazer, envia-me uma mensagem por favor!

Queres ganhar dinheiro com um blog?

Eu criei um guia com as etapas mais importantes para arrancar na direção certa!

Carrega aqui para ler: Como criar um blog profissional: 16 passos cruciais para o seu sucesso

Vou analisar as vantagens do WordPress e comparar com outras soluções, nomeadamente:

  • WordPress.com
  • Blogger
  • Sapo
  • Wix
  • Squarespace

Existem muitas outras plataformas que, para já, ficam fora desta análise…

  • Algumas são mais adequadas no contexto de uma loja online, e não de um blog.
  • Outras são muito recentes e ainda não têm expressão suficiente.
  • Em outros casos, por honesta falta de conhecimento de causa do autor.

Vou tentar sublinhar as vantagens do WordPress em termos de:

  • Preço
  • Usabilidade
  • Customização
  • Segurança
  • SEO
  • Monitorização de tráfego
  • Monetização

Antes de avançar, convém deixar claro que:

  • Não existe nenhuma relação de afiliação entre mim e o WordPress.
  • Este texto não é mais do que uma opinião pessoal. Os leitores são aconselhados a fazer uso do pensamento crítico.
  • Certamente, existem aspetos que eu desconheço sobre o WordPress e todas as outras plataformas que são mencionadas.

As vantagens do WordPress em relação às alternativas

É impossível ignorar a popularidade do WordPress…

Os dados do Google Trends confirmam:

Gráfico comparativo com dados do Google Trends

Durante os últimos 5 anos, em todo o mundo, o WordPress motivou muito mais interesse do que as outras plataformas.

Naturalmente, não faz muito sentido avaliar o Sapo com dados mundiais…

Mas se eu tivesse observado apenas o interesse gerado em Portugal os dados fariam ainda menos sentido, uma vez que em Portugal o Sapo é muito mais do que uma plataforma de blogs.

Claro que o Google Trends não conta a história toda…

Mas de acordo com dados recentes da W3Techs:

  • Atualmente, o WordPress corre em cerca de 30,5% de todos os sites que existem.
  • Quando comparado com outros CMS, o WordPress têm uma quota de mercado de cerca de 60,1%.

Estes números incluem a versão gratuita do WordPress.

Em 2014, a ManageWP estimava que 50% das instalações seriam da versão gratuita.

Em comparação:

O Blogger é utilizado em cerca de 0,9% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,7%.

O Wix é utilizado em cerca de 0,6% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,2%.

O Squarespace é utilizado em cerca de 1% de todos os sites que existem, e enquanto CMS tem uma quota de mercado de cerca de 1,9%.

Porquê?

Vamos começar a comparar…

Vantagens do WordPress: Preço

Um homem abre uma caixa registadora
Original: By Bain News Service, publisher [Public domain], via Wikimedia Commons

Vamos listar as várias plataformas da mais barata para a mais cara.

1. Blogger/Sapo: €10

O Google, via a plataforma Blogger, e o Sapo, permitem criar um blog sem qualquer investimento inicial.

Trocar o domínio nomedosite.blogspot.com ou nomedosite.blogs.sapo.pt por um domínio registado não tem qualquer contrapartida em termos de upgrade pago.

Assim sendo, o único custo a ter em conta é o registo do domínio, estimado em cerca de €10 por ano.

2. WordPress: €20

É possível registar domínio e alojamento por apenas €20 por ano!

A Namecheap é uma das empresas que recomendo para os que querem baixar os custos ao máximo.

Carrega aqui para ver os preços deles.

A renovação do alojamento tem um preço estimado de €40 no segundo ano.

3. WordPress.com: €48

O WordPress.com oferece a comodidade da plataforma WordPress, com as limitações de que falaremos mais à frente, de forma totalmente gratuita.

Mas para usar um domínio registado, em vez do nomedosite.wordpress.com, é preciso fazer um upgrade que custa €4 por mês, ou seja, €48 por ano.

Este preço inclui o registo do domínio.

4. Wix: €96

O Wix tem uma subscrição mais barata, mas essa não permite usar um domínio registado.
Essa opção exige um pagamento de €8 por mês, ou seja, €96 por ano.

Convém salientar que a partir do segundo ano o custo da renovação do domínio é acrescentada à subscrição Wix do utilizador.

5. Squarespace: €108

Este é o plano de subscrição mais barato do Squarespace.

Também aqui, a partir do segundo ano o custo da renovação do domínio é acrescentada à subscrição do utilizador.

Vantagens do WordPress: Usabilidade

Crianças a conduzir miniaturas de carros
Original: Bundesarchiv, Bild 183-38392-0002 / Krueger / CC-BY-SA 3.0 [CC BY-SA 3.0 de (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/de/deed.en)], via Wikimedia Commons

Agora, vamos olhar para os sistemas que suportam o design do site e a criação de conteúdos.

Neste caso, acho que não faz sentido criar um ranking…

Estamos a lidar com plataformas sofisticadas, intuitivas e fáceis de utilizar.

Em vários aspetos, elas são muito semelhantes.

Neste capítulo, é perfeitamente legítimo ter preferências pessoais.

Vou deixar alguns screenshots abaixo, mas primeiro vamos agrupar as plataformas em dois grupos:

  • Backoffice: WordPress, Blogger, Sapo
  • Drag & Drop: Wix, Squarespace

A característica que distingue estes dois grupos é:

Backoffice: Nestas plataformas, a criação e gestão de conteúdo é feita num software de gestão. Aquilo que o administrador vê enquanto trabalha no site é muito diferente da apresentação normal do site para os visitantes.

Drag & Drop: Nestas plataformas, a criação e gestão do conteúdo é feita num software que trabalha em cima da apresentação normal do site para os visitantes.

Por fim, alguns screenshots das várias plataformas:

Vantagens do WordPress: Customização

Um homem a consertar uma televisão
Original: By RÁDIÓ ÉS TELEVÍZIÓ ÚJSÁG [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Conseguir alterar o layout e as funcionalidades do blog, de acordo com as exigências do nicho de mercado e os objetivos de negócio, é muito importante para a credibilidade do site.

Também aqui, não me parece que um ranking faça sentido.

Em vez disso, vou tentar listar os aspetos que, na minha opinião, convém poder customizar com alguma liberdade.

  • Menus
  • Header
  • Sidebar
  • Footer
  • Sliders
  • Remover anúncios

Sem entrar exaustivamente em detalhe, faz sentido agrupar as plataformas em dois tiers de possibilidade de customização:

  • Tier 1: WordPress.com; Blogger; Sapo
  • Tier 2: WordPress; Wix; Squarespace

Vantagens do WordPress: Segurança

Soldados americanos na guerra da Coreia
Original: American soldiers in the Korean war; Source: U.S. National Archives and Records Administration; source: En WIKI

Neste capítulo, é importante ser honesto…

O WordPress é um software open-source, ou seja, as linhas de código que estão por trás do WordPress são partilhadas livremente pelas pessoas que desenvolvem a plataforma.

O objetivo é incentivar os utilizadores a colaborar voluntariamente com mais código, de forma a melhorar o design e o funcionamento do software.

Infelizmente, nem todos os utilizadores têm a melhor das intenções.

Alguns plugins são desenvolvidos por hackers, com o objetivo de ganhar acesso ao site de terceiros.

A fuga de informação que desencadeou o caso “Panama Papers” resultou do uso de um plugin que não foi atualizado, e assim se tornou vulnerável ao ataque de hackers.

É muito importante manter o WordPress e todos os plugins atualizados, e só instalar plugins com grande número de instalações e com bom feedback dos seus utilizadores!

Vantagens do WordPress: SEO

Telefonistas da primeira metade do século XX
Original: By Internet Archive Book Images [No restrictions], via Wikimedia Commons

Em teoria, no que diz respeito à optimização para motores de busca, todos os CMS estão em igualdade.

O trabalho de SEO é feito de pequenas tarefas, análise, testes e melhoramentos.

Os motores de busca valorizam conteúdo de boa qualidade que responda à pesquisa do utilizador, independentemente do software que foi usado na sua criação.

Ainda assim, podemos dizer o seguinte:

O código que é utilizado para programar o WordPress foi desenvolvido de forma a facilitar a comunicação com os motores de busca, e as tarefas de análise e indexação.

O interface de criação de conteúdos, com a ajuda de alguns plugins, vai faciliar algumas das tarefas de SEO mais importantes, tais como:

  • Criar e customizar a estrutura de permalinks
  • Definir title tags
  • Criar meta descrições
  • Gerar sitemaps XML
  • Usar categorias e tags
  • Garantir que o site é responsivo para mobile
  • Garantir que o site é rápido
  • Interação com redes sociais
  • Etc, etc, etc

Muitas das outras plataformas oferecem ambientes onde executar algumas, ou mesmo todas destas tarefas, é relativamente fácil.

Ainda assim, parece-me justo destacar o WordPress.

Vantagens do WordPress: Monitorização de tráfego

Uma cientista espreita por um microscópio
Original: FOTO:FORTEPAN / Botár Angéla [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Este é o aspeto em que é mais difícil distinguir as várias plataformas.

Todas elas, com a exceção da subscrição WordPress.com, permitem a integração com Google Analytics.

Nota: Apesar de fornecer relatórios sobre as visitas ao site, de forma a poder analisar o tráfego via Google Analytics, o WordPress.com exige uma subscrição de €25 por mês, ou seja, €300 por ano!

Em todas elas, com excepção do WordPress instalado e alojado pelo utilizador, por não termos acesso ao código de origem, não é possível utilizar ferramentas mais complexas, como por exemplo o pixel do Facebook.

Ainda assim, e por se tratar duma ferramenta da qual só utilizadores muito avançados tiram vantagem, podemos considerar que todas as plataformas se encontram em igualdade neste campo.

Vantagens do WordPress: Monetização

Notas e moedas de vários países
Original: By Sérgio Valle DuarteWikidata has entry Q16269994 with data related to this item. [CC BY 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0)], from Wikimedia Commons

E finalmente, o aspeto sobre o qual toda gente quer saber…

Importante sublinhar que aqui, o sucesso depende muito de todos os outros pontos de que falamos até agora.

WordPress

Como já vimos, o WordPress é um software gratuito e, portanto, não há qualquer limitação ao nível da monetização.

WordPress.com

Já no WordPress.com, a subscrição a partir da qual a monetização é permitida tem o custo de €8 por mês, ou seja, €96 por ano.

No que diz respeito a redes de anunciantes, a única que é possível usar é a WordAds, plataforma interna do WordPress.com.

Ou seja, alternativas como o Google AdSense não são permitidas.

Links de afiliados, posts patrocinados e e-commerce são permitidos.

Blogger

Da mesma forma, nesta plataforma Google, aparentemente estamos limitados à rede de anunciantes AdSense.

A Blogger também oferece acesso à sua rede Google Affiliate Ads, bem como integração com Amazon Associates.

Todas as outras formas comuns de monetização são permitidas, desde que tecnicamente seja possível implementá-las.

Sapo

O Sapo tem uma rede de parceiros em que, de acordo com os site:

Estabelecemos parcerias com um número muito reduzido de blogs, tipicamente com dezenas de milhares de visitas. As receitas geradas por essa publicidade são depois repartidas com o autor do blog.

Os termos em que as receitas são repartidas não são divulgados…

Google AdSense não é uma opção, por motivos técnicos que envolvem os subdomínios blogs.sapo.pt.

Pelo mesmo motivo, é plausível supor que todas as outras redes de anunciantes também não sejam viáveis.

Mais do que isso, nas “Condições de utilização – Portal Sapo”, o site descreve regras de utilização da plataforma de blogs que, na minha opinião, devem ser suficientes para afastar qualquer blogger com aspirações sérias ao nível da monetização…

Wix & Squarespace

Estas plataformas, tal como o WordPress, não colocam qualquer limitação ao utilizador.

A diferença prende-se mais com a implementação de cada forma monetização dum ponto de vista técnico.

Conclusão?

Penso que após análise, que tentei manter tão honesta quanto possível, as vantagens do WordPress são demais evidentes.

Utilizadores menos avançados têm outras opções à sua disposição, algumas melhores outras piores.

Outros artigos que talvez sejam do teu interesse:

2 comentários em “Vantagens do WordPress: Vale a pena considerar as alternativas?”

    • Se isso fizer sentido, pode usar uma plataforma no domínio principal e outra num subdomínio 🙂

Deixe um comentário